• Facebook
  • (34) 99886 0078
  • Youtube
15/09/2017 -
Setembro Amarelo, mês de prevenção ao suicídio – Falar é a melhor solução!

O suicídio é considerado um problema de saúde pública, apesar de ser um fato alarmante com estatísticas altas, continua sendo um tabu para grande parte da população.

 O CVV (Centro de Valorização da Vida), juntamente com o CFM (Conselho Federal de Medicina) e o IASP (Associação Internacional para Prevenção do Suicídio), desde 2015 vem promovendo o “Setembro Amarelo”, que consiste em um mês voltado para a prevenção e desmistificação desse assunto.

 

Conversamos com o psicólogo clínico e escolar Henrique Silva Mesquita que nos falou sobre importância da campanha para desmistificação do assunto na sociedade. Segundo ele: “A campanha é importante para quebrar o tabu sobre o tema e para incentivar a prevenção, visto o aumento do número de casos de suicídios no Brasil. As campanhas dão visibilidade para os temas, geram discussões e principalmente ações de prevenção, que devem ser estimuladas não apenas nos meses das campanhas, mas durante todo o ano.”

A prevenção é assunto que deve ser debatido nas escolas e também em casa, de maneira que pais, alunos e familiares possam vir a identificar eventuais problemas psicológicos, traumas e outros fatores que estimulem pensamento e atitudes suicidas.

Henrique Mesquita relata que o suicídio deve ser tratado como um problema de saúde pública pois a maioria dos casos está relacionado a doenças mentais. Falar sobre o assunto é a melhor maneira de prevenção e ter acesso à rede de acolhimento para receber os atendimentos necessários, que pode ser o melhor caminho para reduzir os casos. A rede de assistência social e as escolas também devem estar preparadas para acolher e encaminhar os casos que não estão diretamente relacionados à saúde mental, mas que podem provocar ideias suicidas, relacionadas à violência, tragédias, problemas de ordem financeira, familiar e bullying. São áreas de referência para muitas pessoas e espaço para a abertura de diálogo e encaminhamento. Para isso é necessária mais informação sobre o assunto, debates, sendo esta campanha do mês de setembro um dos meios de estimular este debate e promover a prevenção.

Ele ressalta ainda como pessoas que não são profissionais da saúde podem ajudar quem apresenta um comportamento e tendência ao suicídio: “Para ajudar alguém que esteja passando por um momento difícil é importante estar presente, percebe-se que em muitos casos a pessoa se isola antes de cometer o suicídio e esse isolamento só agrava os sintomas. Também é importante ter empatia, que é a capacidade de entender o que se passa com as pessoas ao invés de apenas julgá-las para que haja diálogo e abertura para falar sobre qualquer coisa. Se necessário, estimular a busca de ajuda profissional para tratamento adequado. Uma barreira para o tratamento é o tabu relacionado à busca de ajuda profissional, e essa busca e cuidado com a saúde devem ser estimulados. É importante cuidar da saúde física e emocional, e principalmente manter a esperança e o amor à vida.”

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 90% dos casos de suicídio estão associados a distúrbios mentais e, portanto, podem ser evitados se as causas forem tratadas corretamente. Em nosso município já foram registrados 6 casos de suicídios até o presente momento, segundo dados do SIDS - REDS. Por isso, o assunto deve deixar de ser tratado como um tabu, sendo mais debatido e disseminado, afim de que mais pessoas possam ter oportunidade de obter ajuda e tratamento. 






Link:




Deixe seu comentário



Colunistas
Gabriel Martinez
Luiz Fernando Soares
Jefferson Domingues de Oliveira
Cotações
Obituário
Anisia Angelica da Silva - Dona Ninzita viúva de José Leivino
22/01/2018
Dalila Maria Oliveira Lopes Moreira - Lila
20/01/2018
Ordalia Silvia Fernandes Santana - Dona Ordalia
17/01/2018
Paulo Custodio da Silva
15/01/2018
Helio Rocha
13/01/2018
Newsletter
Cadastre-se e receba nossas atualizações.