Bancários de Carmo do Paranaíba aderem greve nacional

Desde ontem (terça-feira, 06 de outubro) bancários e instituições públicas e privadas de todo o país estão defendendo a proposta que exige um aumento de 16% de reajuste sobre salário, sendo 5,6 referentes ao reajuste do ganho salarial e 9,88% referente à compensação das perdas com a inflação

IGOR GABRIEL / AGÊNCIA SIM

Tamanho da letra

Por tempo indeterminado, a classe de bancários decidiu entrar em greve na manha de ontem (terça-feira) reivindicando reajuste salarial de 16%. Segundo o sindicato dos bancários, panfletagens e outras ações estão marcadas para toda a nossa região, com o intuito de conscientizar a todos. Conforme estipula a lei, apenas 30% dos funcionários serão mantidos. Funcionaram apenas para transações financeiras os caixas eletrônicos, bem como aplicativos celulares, operações bancárias, telefone e internet banking.

 

Os bancos oferecem um reajuste de 5,5% e um abono salarial de R$ 2.500,00, que seria igualmente distribuído com a categoria, porém, não seria incorporada ao salário. A proposta ainda inclui a participação dos bancários na distribuição dos lucros, algo que ficaria em torno de 5 a 15%. Em Carmo do Paranaíba, a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil aderiram a paralisação.

 

Segundo a FENABAN (Federação Nacional dos Bancos), a proposta oferecida seria para cobrir as perdas com a inflação do período passado. Segundo a federação, o reajuste de 5,5% está condizente com a projeção dos índices inflacionários para os doze meses a frente. Qualquer valor superior a isto poderia comprometer uma queda da inflação, informou a mesma, por meio de nota.

 


Publicidade


 


 



 



 

 





 

 




 










2011 cponline.com.br Todos os direitos reservados.